BNDES lançará linhas de financiamento para produtividade e inovação

BNDES

BNDES lançará linhas de financiamento para produtividade e inovação

BNDES lançará linhas de financiamento para produtividade e inovação

BNDES lançará linhas de financiamento para produtividade e inovação

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai lançar dois novos programas de investimentos focados em inovação e produtividade. Os dois programas tem como público pequenas empresas.

Os programas, BNDES 10 e BNDES Produtividade, estão em fase final de formatação e devem ser lançados em breve e promete ser mais ágil na concessão dos empréstimos ao pequeno empreendedor, com aprovação em até 30 dias, que terá um limite de até 10 milhões de reais.

As operações serão diretas entre o BNDES e os tomadores, sem passar pela rede bancária que atua muitas das vezes como agente repassador de verbas do banco de fomento.

“É para ser um instrumento rápido … e o recurso inclui inovação, despesas para inovação, mas para investimento. Não é para capital de giro”, disse o presidente a jornalistas em evento da Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina (Abifina).
“Haverá um processo de habilitação, mas para empresas com relação com o banco e um histórico. Já o BNDES Produtividade seria para despesas voltadas para produtividade e será um produto mais pela especialidade do que pela agilidade”, complementouNos 12 meses até julho, os desembolsos do BNDES para inovação somaram 3 bilhões de reais, ante 2,2 bilhões de reais em todo o ano de 2017.Oliveira também disse que o governo deve lançar na próxima semana um programa para estimular a geração solar no país, e o BNDES vai ser um dos agentes financiadores do programa, juntamente com outros bancos públicos. A participação do banco de fomento no programa, que também dará apoio a consumidores residenciais, deve ser relevante, acrescentou.
“Vai ter um programa, um evento na semana que vem para a gente apresentar todos os detalhes. A principal fonte do programa será o BNDES”, frisou.De acordo com Oliveira, o nível de desembolso do banco está sendo afetado pelo período eleitoral. De janeiro a agosto, o volume de empréstimos recuou 10 por cento em relação a igual período de 2017. Já as aprovações e consultas subiram aproximadamente 10 por cento no mesmo período.
“As empresas estão recolhendo seus flaps nesse período eleitoral”, disse Dyogo Oliveira a jornalistas após participar de evento no Rio de Janeiro.Mais informações clique aqui!Fonte: BNDES e Exame.