Cidades se unem em rede para promover desenvolvimento tecnológico e social

Cidades se unem em rede para promover desenvolvimento tecnológico e social

Sete municípios constituem, desde setembro, a Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas. O grupo foi oficialmente criado durante solenidade de assinatura, em Vitória (ES), da “Carta de Vitória”, uma espécie de protocolo de intenções que formaliza o compromisso das cidades com o desenvolvimento tecnológico e social. O passo seguinte será a assinatura da carta de adesão pelos prefeitos e secretários municipais de ciência e tecnologia. Está prevista, ainda, a realização de reuniões de articulação para a elaboração do estatuto.

A criação da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas é uma iniciativa do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Municipais de Ciência, Tecnologia e Inovação e da União Europeia, com apoio do Banco Mundial e da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). O objetivo é promover a troca de experiências em inovação e fortalecer a captação de recursos que viabilizem a implantação de projetos de tecnologia em cada cidade. Também está sendo proposta a criação do Instituto Brasileiro de Cidades Inteligentes e Humanas.

Segundo o presidente do Fórum e diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Vitória (CDV), André Gomyde, a União Europeia já confirmou a possibilidade de repassar experiências tecnológicas e recursos financeiros para oito cidades.  “Cada município participante poderá receber até 50 mil euros para a implantação do trabalho de cidade inteligente, por meio de uma parceria que está sendo estabelecida com o Banco Mundial”, explicou.

Além de Vitória, integram a Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas os municípios de Porto Alegre (RS), Taquaritinga (SP), Aparecida de Goiânia (GO), Olinda (PE), Rio das Ostras (RJ), Anápolis (GO) e São Paulo (SP). De acordo com informações do Fórum, São Paulo (SP) deverá assinar a “Carta de Vitória” em breve. 

Fonte: Frente Nacional de Prefeitos