Proinfra lança dois editais até dezembro

Proinfra lança dois editais até dezembro

Programa específico para a melhoria da infraestrutura de pesquisa no País, o Proinfra fará duas chamadas públicas até o final do ano. A primeira, no valor de R$ 100 milhões, será para complementar obras, e a segunda, de R$ 300 milhões, será destinada à compra de equipamentos. Nos primeiros nove meses deste ano, foram desembolsados pelo programa R$ 300 milhões. A instituição responsável pelo Proinfra é a Finep, empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação, MCTI. O programa investe na construção de laboratórios, financiamento de obras e aquisição de equipamentos de ponta para instituições públicas de ensino superior e pesquisa. Nos últimos dez anos foram investidos cerca de R$ 3 bilhões em 1.200 projetos, e executadas 1.400 obras, de pequenas reformas a grandes laboratórios. Em média cada projeto leva dois anos para ser concluído.

 

Os investimentos em infraestrutura de pesquisa e inovação contam com outras fontes financiadoras. A Embrapii é uma instituição privada, sem fins lucrativos, que apoia instituições de pesquisa tecnológica e conta com recursos que saem dos orçamentos dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Educação. A finalidade é criar inovação em parceria com o setor industrial.

 

A instituição conta com orçamento de R$ 1,5 bilhão para executar em seis anos. Os contratos preveem que as instituições de pesquisa junto com as empresas parceiras façam o aporte de R$ 2,00 para cada R$ 1,00 obtido na Embrapii. “Temos uma maneira diferente de fomentar. Não se trata de um plano de pesquisa e, sim, de um plano de negócios”, diz o presidente da Embrapii, João Fernandes Gomes de Oliveira.

 

No dia 10 de outubro, os institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Ministério da Educação, IFs, foram chamados a apresentar propostas para a execução de planos de ação em desenvolvimento tecnológico em parceria com empresas do setor industrial.

 

Os IFs, integrantes da rede nacional de inovação, utilizarão os recursos obtidos na formação de pessoas eem infraestrutura. A Embrapiitambém atua junto a outros institutos de pesquisa e já assinou contrato com oito deles. Entre os contemplados figuram instituições como o Instituto Nacional de Tecnologia (INT), Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Centro de Engenharia Elétrica e Informática da Universidade de Campina Grande (CEEI/UFCG) e Institutos Latec.

 

A infraestrutura para pesquisa tem sido beneficiada por parcerias. Investimento de R$ 7 milhões feitos em parceria com a Petrobras, possibilitou que o INT implementasse o projeto de equipar um laboratório de motores para testar misturas alternativas de combustíveis de biodiesel e diesel.

 

A estrutura deve começar a operar em agosto do ano que vem. A expansão do centro de nanotecnologia, realizado com apoio da Finep, e também em parceria com a Petrobras, possibilitará pesquisas na área de corrosão. O objetivo é desenvolver materiais a serem utilizados no pré-sal. O investimento total será de R$ 3 milhões.

 

O laboratório que possibilita a realização de protótipos em resina com rapidez é outro projeto voltado para a indústria de óleo e gás. Foram investidos de R$ 6 milhões.

 

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) prepara uma chamada pública internacional para a compra de um supercomputador destinado a melhorar a qualidade da previsão do tempo. O equipamento permitirá a previsão para áreas menores, chegando ao detalhamento por bairros. No ano passado, começou a operar uma sala de situação com monitoramento 24 horas da ação solar.



(Fonte: Valor Econômico – 24/10/2014)