Start-up poderá receber apoio de até R$ 1 milhão do governo

Start-up poderá receber apoio de até R$ 1 milhão do governo

 

A Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) lançou nesta segunda-feira (19) plano para investir em até 50 start-ups (empresas de tecnologia em estágio inicial).

Cada empresa pode receber até R$ 1 milhão da financiadora, que é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Podem participar da seleção companhias brasileiras com faturamento anual de até R$ 3,6 milhões.

Entre as áreas de interesse estão educação, cidades sustentáveis, fintechs (tecnologia para setor financeiro), internet das coisas, economia criativa, energia, defesa, mineração, petróleo, biotecnologia, “agritech “e química.

Serão aceitas empresas que tenham ao menos protótipo desenvolvido e que necessitem de recursos para ganhar espaço no mercado.

Desde 2002 a Finep investe em start-ups, porém de modo indireto, aplicando seus recursos para se tornar cotista de fundos de “venture capital” (capital de risco).

Esses fundos costumam buscar empresas mais maduras do que as que serão alvo de investimento do novo programa. Em geral, eles fazem menos injeções de capital com valores maiores, a partir de R$ 3 milhões.

A Finep investiu R$ 257 milhões em 13 fundos do tipo que, até agora, injetaram recursos em 98 empresas –seis dos fundos ainda estão em período de investimento e podem colocar recursos em mais companhias.

Veja as novidades:

 

Mais informações:
Tel.: (47) 3234-3713

E-mail: contato@antigo.cpzconsultoria.com.br
Whats: (47)988406463

A CPZ CONSULTORIA PÚBLICA E EMPRESARIAL oferece serviços técnico-profissionais com o objetivo assessorar Empresas, ONG’s, Prefeituras na Montagem da Operação, Identificação de Bancos, Agentes Repassadores (capacidade de pagamento), que aceitem o Risco de Crédito, Elaboração do Projeto de Viabilidade Econômico-Financeiro, com total acompanhamento junto aos Bancos, Repassadores do BNDES na aprovação, contratação, liberação dos recursos, inclusive com a negociação das reciprocidades.